sexta-feira, 28 de maio de 2010

C. Percivaliana ...


Uma surpresa!!! um botão, duas semanas após abrirem as duas flores.

C. Percivaliana...

C.Walkeriana (lilás)

segunda-feira, 24 de maio de 2010

Generos de Orquídeas

Existem determinadas características comuns que fazem com que uma planta seja incluída na família das orquidáceas. Por exemplo, sua flor tem os órgãos de reprodução feminino e masculino fundidos em um só corpo chamado coluna ou gynostemium.

Uma outra característica é a forma irregular de seus segmentos florais. A flor da orquídea tem 3 sépalas e três pétalas. A pétala do meio é modificada e recebe o nome de labelo. Ele é, em geral, a parte mais interessante da flor e a mais intensamente colorida. Sua forma e perfume podem variar muito. Ele pode ter a forma de uma abelha fêmea (como no caso do género Ophyrs), de uma vespa fêmea como no caso do género Drakea ou Cryptostylis, um balde como no caso do género Coryanthes, pode ter um perfume adocicado ou desagradável, forte ou suave. Tudo isto com o único objetivo de atrair o polinizador e garantir a reprodução da espécie.

Ao contrário do que diz a crença popular, as orquídeas não são parasitas, elas não se alimentam do hospedeiro, apenas o usam para melhor se fixarem. Em geral, elas são epífitas (raízes aéreas) vivendo em árvores ou sobre as pedras (nas regiões tropicais) e terrestres (nas zonas temperadas) muito embora em zonas tropicais como as nossas existam muitas orquídeas terrestres.

Também ao contrário do que muitos pensam, a maior parte das orquídeas não gosta de ser mantida dentro de um substrato sempre molhado apesar de gostarem, de uma maneira geral, de humidade ambiental elevada.

Plantas extremamente diversificadas, as orquídeas são encontradas no mundo todo, com exceção das regiões completamente desérticas. Por esta razão sempre é possível encontrar uma espécie que seja adequada às condições que possuímos.

Embora possam ser encontradas do nível do mar até 4.000 de altitude, elas são mais numerosas na faixa que se situa entre 500 e 2.000m acima do nível do mar.

Algumas orquídeas estão entre as menores plantas floríferas do mundo como Eurystyles ou muitas espécies pertencentes à Pleurothallidinae (América tropical). Algumas são tão grandes que atingem até 4m de altura como Selenipedium (América tropical) ou Grammatophyllum papuanum (originário de Papua-Nova Guiné) que pode pesar toneladas.

O número de géneros está estimado em 600, o número de espécies entre 25.000 e 30.000 e número de híbridos registrados já ultrapassou a marca dos 100.000.

Bulbophyllum é o género mais rico em número de espécies e supõe-se que possua aproximadamente 2.000. Em seguida vem o Pleurothallis (mais de 1.500 espécies são atribuídas a este gênero, com muitas outras a serem ainda classificadas e descritas), depois há o Dendrobium com 1.400 e finalmente o Epidendrum com mais de 800 espécies. Actualmente, muitas espécies de Bulbophyllum migraram para o gênero Cirrhopetalum

A distribuição geográfica não é regular no mundo todo. Alguns poucos géneros estão presentes em quase todos os continentes mas, de uma maneira geral, a área de distribuição é mais restrita.

Bulbophyllum: é encontrado nas América do Norte, Central e do Sul, na África, Ásia e Oceania
Cattleya, Epidendrum, Laelia, Masdevallia, Maxilaria, Odontoglossum, Oncidium, Pleurothallis, só são encontrados nas Américas do Norte (a partir do México), Central e do Sul
Coelogyne: Ásia

Cymbidium: África, Ásia , Oceania
Cypripedium: América do Norte, Europa, Ásia e Oceania
Dendrobium: Ásia tropical e subtropical, Austrália e Oceania
Habenaria: Américas do Norte, Central e do Sul, Europa, África, Ásia e Oceania
Paphiopedilum: Ásia e Oceania
Phalaenopsis, Vanda, Renanthera: Ásia

Vanilla: Américas do Norte, Central e do Sul, África equatorial e sudeste da Ásia.
Só na América tropical há mais de 8.000 espécies e na Ásia tropical mais de 7.000.
O Brasil possui, aproximadamente, 2.500 espécies e 1/3 delas vegetam também no estado do Rio de Janeiro.
A Colômbia possui mais de 3.000 espécies.
A Venezuela mais de 1.500.
O México mais de 660.

Hoje em dia, a maior parte das espécies está espalhada pelo mundo todo devido à grande capacidade de adaptação destas plantas. Elas se adaptam tão bem às diversas regiões do planeta que vegetam como se fossem nativas. Atualmente, Angreacum, Cymbidium, Dendrobium, Paphiopedilum, Phaius, Phalaenopsis, Renanthera, Vandaceous, Cattleya e Oncidium podem ser cultivados em qualquer continente, dependendo somente das condições climáticas ou das condições do local de cultivo, seja ao ar livre, seja no interior das residências ou ainda nas estufas construídas para este fim.

Fonte; 'Orquideana' (Tem todos os direitos autorais)

domingo, 16 de maio de 2010

Para matar pulgão

Ao identificar a presença de pulgão a planta deverá ser isolada por cerca de 40 dias.
Borrifar de 15 em 15 dias uma solução composta por1 ml de água sanitária para cada litro de àgua.
Para reomver o pulgão limpar a planta com água e uma escova de dentes.

Para estimular brotação

Quando a "frente" da orquídea estiver adormecida, fazer um corte entre os bulbos até a parte mais dura, antes da raiz ou até separá-los caso a planta esteja bem firme no vaso, em seguida passar canela em pó. 

sábado, 15 de maio de 2010

Tipos de orquídeas

EPÍFITAS: desenvolvem-se grudadas nos troncos das árvores.
TERRESTRES: desenvolvem-se na terra.
RUPÍCULAS: desenvolvem-se sobre rochas.

Adubação

NPK- 1 colher de chá diluída em 2 litros de água, como indicado na bula. Borrifo nas plantas de 15 em 15 dias, nos dois lados das folhas, bulbos, caules e nas raízes das vandáceas.
 O que significa e onde age cada elemento:

O nitrogênio (N) estimula a brotação e o enfolhamento. O fósforo (P) é responsável pela produção de energia incentivando a floração e a frutificação. O potássio (K) fortalece os tecidos vegetais tornando as plantas mais resistentes as pragas e ao frio, além de atuar no crescimento das raízes.

VIAGRA- 1 sachê composto de 1 colher de chá, a cada 6 meses.
Composto orgânico contendo por exemplo farinha de osso.

CANELA EM PÓ- 1 colher de sopa espalhada por cima de todo o substrato após a rega, uma vez ao ano.